Home | Blog | Liderança na prática: Uma história para se inspirar
Blog

Liderança na prática: Uma história para se inspirar

Liderança Inspiradora

Uma das características de um líder de sucesso é encorajar o seu time a criar soluções, não problemas. Além disso, ele precisa sempre estar disposto a aprender e conhecer exemplos de quem tem agido de maneira inspiradora pode ser um excelente começo.

A enfermeira sênior Emma Brandon foi vencedora do prêmio Britain’s Best Boss (Melhor Chefe do Reino Unido), um reconhecimento a gestores que atuam de maneira exemplar. Mas como uma enfermeira pode nos ensinar algo sobre liderança? Como ela pôde receber tal prêmio, ficando a frente de importantes executivos?

Ao iniciar sua atuação na Norwich Mental Healthcare – uma unidade de saúde mental que atende pacientes com quadros mais graves –, Emma Brandon agiu de maneira diferente dos demais gestores que antes ali estiveram. Ao invés de já chegar com novas propostas e mudanças, passou duas semanas apenas ouvindo todos os colaboradores da instituição. Isso mesmo, ouvindo. Ela reunia as pessoas em grupos, conversava, ia fazendo perguntas. À medida que respondiam, ela ouvia e anotava.

Mesmo com a maior parte da equipe estranhando aquele comportamento, o que Emma pretendia era entender o espaço com o qual iria contribuir a partir daquele momento. Ela queria entender as emoções, as forças, as dificuldades de todos, para só depois de tudo isso, ser capaz de conceber um plano de ação.

“Todos estavam vindo para o trabalho, porque eles tinham que vir para o trabalho. Eu acho que quando assumi o papel, nem eu sabia no momento quanta mudança seria necessária. Eu também estava muito surpresa com a rapidez com que a mudança poderia ser alcançada”, explica a enfermeira-chefe. Emma Brandon também destaca o quanto essas “conversas” foram importantes para mudar o rumo da organização e estimular a equipe: “Eu estava descobrindo coisas muito simples. Todas as habilidades e talentos já estavam lá, e isso [a atitude de ouví-los] era como deixá-los sair "fora da caixa", uma espécie de desafio”.

Agindo dessa maneira, as coisas foram mudando na unidade de saúde mental. Além disso, Emma foi conquistando a confiança e admiração da equipe. “Eu acho que o clima antes de Emma chegar era algo que estava desativado”, afirma um colaborador. “Ela trouxe vida para o lugar. Foi menos caótico, os incidentes clínicos reduziram-se  significativamente com isso, menos medicações precisaram ser usadas, os pacientes dormiam melhor à noite”, conta uma cuidadora da unidade.

Mas você deve estar se perguntando: ok, ela reuniu e ouviu as dificuldades de cada um. Mas como conseguiu transformar tudo isso em um plano de ação que gerasse resultados positivos e uma equipe engajada? A resposta para essa pergunta vem da própria líder: “A mensagem de que as pessoas estavam descontentes com o caminho mantido vinha de todos. Eu perguntava se eles poderiam me sugerir soluções e eles tinham pensado em algumas. Eu acho que as pessoas que se aproximavam deles no passado não acreditavam no potencial deles e isso os desestimulava um pouco”.

Emma Brandon valorizou o que os colaboradores tinham a dizer. Cada sugestão, cada proposta de solução era recebida com atenção e valorizada como possibilidade de um caminho positivo. O potencial daquele grupo foi reconhecido. A enfermeira-chefe percebeu que criando um plano de ação a partir do que os colaboradores sugeriram, isso traria um grau maior de comprometimento com o trabalho.

Além disso, haveria mais autoconfiança em cada um deles, pois suas ideias foram colocadas em prática. Acreditariam mais em si e no propósito de estarem ali. Com todos acreditando, o resultado logo surgiria, como aconteceu. “Se você der às pessoas mais responsabilidade, elas começarão a se sentir mais capacitadas e mais felizes. Elas sentem que podem fazer a diferença, e as pessoas vivem de acordo com as expectativas, pois todas têm”, ensina a ganhadora do prêmio.

Para o especialista em Liderança e Diretor de Metodologia do IPOG, Luciano Meira, o comportamento de Emma Brandon, de fato, é uma inspiração. Segundo ele, isso sim é ser uma líder preparada para o mundo atual, pois o seu modo de agir demonstrou um alto grau de maturidade e de inteligência emocional. “Nesse plano de ação, ela usou ao máximo a contribuição das pessoas e ela sabia onde encontrar as competências, pois ela soube mapear as forças da organização e de cada um dos envolvidos”, destaca.

De acordo com o enfermeiro John Allcock, que nomeou Brandon, desde que Emma se juntou à equipe, o ambiente de trabalho foi um lugar mais feliz e mais positivo. "Ela tem sido pró-ativa na manutenção de políticas favoráveis ​​à família e tem os interesses de todos os pacientes e funcionários no topo de sua agenda.” John ainda destaca que ela é flexível e solidária com os problemas e necessidades pessoais dos outros, além de ser uma líder forte e confiante".

E se depois de tudo isso, de alcançar tantas mudanças, Emma Brandon chamou a glória do triunfo apenas para si, aprenda mais uma lição, vendo o que ela disse em agradecimento ao prêmio durante uma entrevista para um jornal britânico:

“Eu tenho uma grande equipe trabalhando comigo. Estão todos focados em fazer o seu melhor para as pessoas sob nossos cuidados. Sem o apoio e experiência deles, eu não poderia ter conseguido tudo o que eu havia planejado. É realmente um esforço de equipe, e eu vejo este prêmio como um reflexo da qualidade dos colegas com quem tenho a sorte de trabalhar. Acredito que ajudei a criar um ambiente de trabalho mais feliz, o que permitiu que a equipe desenvolvesse suas habilidades e papéis e incentivasse o trabalho em grupo".

Se depois de tudo que você leu, sua mente está pensando em como começar a alcançar resultados assim gerindo pessoas, comece pela seguinte pergunta:

Como você pode estimular o talento do seu time? 

E anote algumas da lições que aprendemos com Emma Brandon:

1)    Antes de propor mudanças ou novas ideias, conheça sua equipe e ouça o que ela tem a dizer;

2)    Busque mapear talentos, cada um pode somar com a equipe de uma maneira especial;

3)    Estimule os colaboradores a pensar em soluções;

4)    Construa um plano de ação baseado nas forças e diculdades identificadas pela equipe e nas propostas apresentadas por ela;

5)    Acredite no potencial de sua equipe e estimule a cada um acreditar em si. Só assim a mudança é possível;

6)    Desenvolva sua inteligência emocional;

7)    Busque sempre um ambiente de trabalho positivo e feliz.

 

IPOG

Assessoria de Comunicação


Post anterior

Por que alguns líderes conseguem estragar tudo?

Próximo post

Qual o melhor serviço de computação em nuvem para implantar em seu negócio?

Deixe um comentário

   Facebook
   Twitter
   LinkedIn
   Google Plus
   Pinterest
   Email
Compartilhar esta página por email: