Home | Revista Especialize On Line | Edição nº13/2017
Revista Especialize On Line

Edição nº13/2017

Filtrar por autor

Uso de Regras de Gramática da Forma para automatizar reformas de apartamentos no Autodesk Revit

Visto a crescente demanda por reformas de apartamentos originalmente oferecidos pelo mercado imobiliário, este artigo discute sobre como o design generativo pode colaborar na padronização de soluções arquitetônicas, por meio da análise e elaboração de sistemas generativos que seguem a regras específicas na reforma de apartamentos previamente analisados e delimitadas as opções. Estas regras foram previamente elaboradas pela autora Cristiana Griz. Serão transcritas regras de aglutinação, divisão, alteração escalar ou de rótulo. E a partir da sistematização destas regras, organizadas por grupos de regras formais no software Autodesk Revit, objetivando a automatização do processo de criação de soluções customizadas em massa. Neste artigo, são consideradas 6 tipologias de reformas executadas no Villa 4.

Baixar arquivo completo

Estratégias passivas para habitações na cidade de Manaus visando o conforto térmico

Especificar estratégias passivas que oriente a concepção do projeto arquitetônico de edificações habitacionais adequando as construções ao clima local. A pesquisa é direcionada para a questão climática da cidade de Manaus que está inserida na zona bioclimática 8 brasileira, de clima quente e úmido com o objetivo de solucionar na fase de concepção de projetos um bom desenho arquitetônico para o conforto térmico das edificações com baixa oneração para quem constroí.. Para chegar às estratégias foram identificadas orientações previstas na norma de desempenho 15220-3, algumas referências na norma Passivhaus, a carta bioclimática de Givoni por meio do software Analysis Bio, e literaturas da área. As observações identificadas são aplicadas na envoltória de uma edificação modelo e no entorno da mesma com o objetivo de reduzir o custo de manutenção da casa ao longo da sua vida útil, além de contribuir para uma construção integrativa com a natureza local, de forma sustentável. Concluiu-se que as estratégias contribuem para um conforto térmico de bemestar para os moradores, com significativa economia de energia, com relativo alto custo inicial sendo compensadas com a economia posterior à conclusão da construção, algumas estratégias podem ser adaptadas às edificações já existentes, e o ganho ambiental pelo uso de vegetação melhora consideravelmente a qualidade do ar e o microclima local.  


 

Baixar arquivo completo

Eficiência de Combustão em Caldeiras Aquatubolares da Usina Odebrecht Alto Taquari

A geração de vapor é essencial para a maioria das indústrias. Para o setor sucroalcoleiro, não é diferente. No entanto, estas se beneficiam do fato de o combustível utilizado em suas caldeiras, o bagaço, ser resultante de uma etapa do processo, especificamente, da moagem da cana-de-açúcar. O controle da combustão e, consequentemente, da quantidade de calor que é fornecida para a produção de vapor é extremamente importante, haja vista que a geração desse vapor deve ser suficiente para atender a demanda energética (térmica e elétrica) da indústria e o excedente fornecido às concessionárias. Para tanto, o excesso de ar utilizado deve garantir a combustão completa e a economia de bagaço, até o máximo possível nas condições industriais, e a umidade desse bagaço deve ser a menor possível de forma a não onerar a produção de vapor. Também, as perdas devem ser minimizadas para conseguirem-se bons rendimentos. Assim, avaliar a eficiência da combustão das caldeiras da UAT é o principal objetivo deste trabalho, apontando a relação ótima entre a massa de vapor produzido e a massa de bagaço queimado, respeitando os limites impostos pela alta umidade deste último. A metodologia utilizada foi de pesquisa Bibliográfica com base nos projetos das Caldeiras da UAT. Os resultados encontrados apontam a alta eficiência e rendimento no processo de queima do bagaço, tornando o mesmo viável. Conclui-se que a baixa umidade do bagaço aumenta o calor fornecido para a geração de vapor e consequentemente a produção de energia.

Baixar arquivo completo

Indicadores como ferramenta de avaliação da eficácia do Sistema de Gestão Integrada: Qualidade e Ambiental

Este artigo tem por objetivo apresentar alguns tipos de indicadores de desempenho que podem ser utilizados por empresas de sociedade de economia mista - vinculada a governo estadual que possuem um sistema de gestão integrado: qualidade (SGQ) e ambiental (SGA). Neste contexto, o artigo tem como objetivo apresentar uma abordagem da gestão da qualidade e ambiental e dos indicadores de medição de desempenho, enfatizando a importância dos indicadores de desempenho do SGI para a organização. Trata-se de uma pesquisa teórica, usando metódo quantitativo em carater estatístico,  que investigou artigos, teses, dissertações e documentos publicados por empresas que possuem seus SGQ e SQA certificados. Foi utilizado coleta de dados através de documentos oficiais das empresas fornecedoras da prestação de serviço e monitoramento interno através do autor. A referida análise é realizada atraves da média estatistica anual e transpassada para efeito de cálculo em planilhas especificas para a atividade. Estes indicadores foram divididos de acordo com os requisitos das normas ISO 9001 e ISO 14001. Por fim, o artigo inicia uma discussão de como estes indicadores podem tornar-se estratégicos ou parte da estratégia da qualidade e ambiental de uma organização.

Baixar arquivo completo

Avaliação do Gerenciamento dos Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde nos Estabelecimentos Veterinários instalados no Município de São Luís/MA.

O presente trabalho fornece conceitos básicos e caracteriza o gerenciamento dos resíduos de serviço de saúde em estabelecimentos veterinários localizados no município de São Luís/MA, divididos em hospitais, clínicas e consultórios abordando o manejo de acordo com a legislação vigente. A pesquisa aconteceu no período de fevereiro a abril de 2016, realizada através de visitas de campo com abordagem quantitativa e qualitativa. No universo de 24 profissionais consultados, apenas 29% dos clínicos conhecem a legislação e, dentre esses profissionais, apenas 3 estabelecimentos realizam práticas mínimas de controle do resíduo hospitalar. Em apenas 5 clínicas e 5 consultórios foi possível notar procedimentos corretos de segregação, o que corresponde a 23% e 50% respectivamente. Apenas 46% estabelecimentos veterinários utilizam as caixas amarelas descartáveis utilizando seu volume total. Já, 54% dos demais estabelecimentos, lançam os materiais perfuro-cortantes fechados junto com as fezes e pêlo proveniente do serviço de banho e tosa em sacos pretos. Ainda, em apenas uma clínica pôde-se notar que 7% utilizam garrafa PET sem qualquer identificação com o símbolo de infectante. Os únicos tratamentos evidenciados neste estudo são de 3 estabelecimentos que utilizam o serviço especial de coleta externa correspondendo 12,5% do total dos estabelecimentos. Espera-se, portanto,mudanças significativas nas práticas de manejo do lixo proveniente desses estabelecimentos.   

Baixar arquivo completo
97 item(ns)
Primeiro Anterior Proximo Ultimo
Revista Especialize On Line
   Facebook
   Twitter
   LinkedIn
   Google Plus
   Pinterest
   Email
Compartilhar esta página por email: